Pesquisar
Close this search box.

GT Saúde Bucal Coletiva

A Saúde Bucal Coletiva (SBC) é um movimento teórico-político com origem na Reforma Sanitária brasileira. No plano teórico pretendemos uma ruptura epistemológica com a Odontologia e recusamos a Odontologia de Mercado. Sua criação enquanto Grupo Temático da Abrasco se deu a partir da defesa de alguns princípios entre os quais, a defesa da saúde como direito e não como mercadoria, devendo ser assegurados para todos como forma indissociável da saúde geral para todos e tendo como princípios norteadores:

1. Acesso universal às ações e serviços em Saúde Bucal, por rejeitarmos frontalmente o monopólio de classe por certas ações, tanto preventivas quanto terapêuticas;

2. Cuidados integrais, com acesso a todos os níveis de atenção e a ações intra e extra setor saúde, por não opormos as dimensões da promoção, prevenção e reabilitação, uma vez que são, em termos coletivos, necessárias concomitantemente;

3.Prática profissional sob princípios éticos, por rejeitarmos a coisificação do outro. Defendemos a autonomia das pessoas e rejeitamos, de modo intransigente, a realização de procedimentos inúteis ou realizados por razões mercantis; esta mesma dimensão ética orienta a produção do conhecimento científico e tecnológico, como afirmação da vida democrática em sociedade;

4. Controle popular dos sistemas e serviços de saúde, sejam sob gestão estatal ou de propriedade particular. Constituindo-se como pré-requisito ao exercício da cidadania, neste plano, a consolidação da democracia e o desenvolvimento de relações interpessoais fundadas na compreensão e solidariedade. Faz parte deste GT um grupo de professores de pós-graduação e pesquisadores em Saúde Bucal Coletiva, de instituições de ensino e pesquisa de numerosos estados brasileiros.

(texto baseado na carta de fundação do GT de Saúde Bucal Coletiva da Abrasco)

 

Critérios e processo de ingresso:

– Ser associado adimplente da Abrasco
– Apresentar uma carta de intenções e atividades que contribuam com os propósitos e o planejamento do GTSBC ABRASCO e que esteja fundamentada no próprio percurso de atuação na saúde bucal coletiva brasileira.
– Enviar a carta no E-mail à coordenação do GT por meio do email oficial: abrascogtsaudebucal@gmail.com

A aprovação do ingresso ocorrerá em assembleia presencial do GTSBC ABRASCO.

Critérios de permanência

– Manutenção da adimplência com a Abrasco
– Participação na reunião de pesquisa e em, pelo menos, um evento da Abrasco a cada dois anos
– Participação ativa nas atividades promovidas pelo GTSBC ABRASCO

Em breve.

Coordenação:

Maria Ercilia de Araújo
Otacílio Batista de Souza Netto
Sonia Cristina Lima Chaves
 

Membros:

Ana Catarina Busch Loivos
Ana Maria Freire
Angelo Giuseppe Roncalli da Costa Oliveira
Antonio Carlos Pereira
Cacilda Castelo Branco
Celso Zilbovicius
Cristine Warmling
Daniela Lemos Carcereri
Danielle Emmi
Doralice Severo da Cruz
Edgard Michel Crosato
Édson Hilan
Efigenia Ferreira e Ferreira
Elizabethe Cristina Fagundes de Souza
Fabiana Schneider
Franklin Forte
Gabriela Gaspar
Guadalupe Sales
Helder Henrique Costa Pinheiro
Helenita Correa Ely
Jacques Maciel
João Luiz Gurgel Calvet da Silveira
Judith Pinho
Karlinne Duarte
Lidia Moraes Ribeiro Jordão
Luciane Maria Pezzato
Luiz Roberto Augusto Noro
Maria Cristina Teixeira Cangussu
Maria Goretti Queiroz
Mariana Ramalho de Farias
Marcia Helena Baldani
Marcia Pereira Alves dos Santos
Marco Antonio Manfredini
Marcoeli Moura
Marcos Azeredo Furquim Werneck
Marcos Pascoal Pattussi
Maria Gabriela Haye Biazevic
Mario Vianna Vettore
Nilcema Figueiredo
Paulo Capel Narvai
Paulo Frazão
Paulo Sávio Angeiras de Góes
Rafael Aiello Bomfim
Rafael Gomes Ditterich
Rafaela da Silveira Pinto
Ramona Fernanda Ceriotti Toassi
Renata Goulart Castro
Rodolfo Macedo Cruz Pimenta
Roger Keller Celeste
Roosevelt da Silva Bastos
Samuel Jorge Moyses
Wilton Wilney Nascimento Padilha

Nota Técnica em resposta à intimação nº 2.311 e 2.312: Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  70907 –  20 de agosto de 2021

Nota Técnica apresentada para a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) no âmbito da Arguição por Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 709

Nota Técnica em resposta à intimação nº 904 e 905/2021: Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  70907 – de abril de 2021

Nota Técnica em resposta à intimação nº 300 e 301/2021: Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  709 – 12 de fevereiro de 2021

Nota Técnica em resposta à intimação nº 4.076/2020: Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  709 – 4 de dezembro de 2020

Nota Técnica em resposta à intimação nº 3.631/2020: Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  709 – 3 de novembro de 2020

Nota Técnica em resposta à intimação nº 3073/2020 : Manifestação ao STF do Grupo de Consultores do GT de Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva e Fundação Oswaldo Cruz referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental  709 – 18 de setembro de 2020

Nota Técnica em resposta à intimação nº 2636/2020: manifestação enviada ao STF referente à Medida Cautelar na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental – ADPF n. 709, protocolada em julho pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil – APIB e por partidos políticos.

Em breve.

Pular para o conteúdo