NOTÍCIAS 

Nota de pesar: Carlos Walter Porto-Gonçalves

Associação Brasileira de Saúde Coletiva

É com profundo pesar que a Abrasco recebe a notícia do falecimento do geógrafo e professor Carlos Walter Porto-Gonçalves, ocorrida na quarta-feira, dia 6 de setembro de 2023. Sua obra e trajetória foram e continuarão sendo uma grande referência para a saúde coletiva no Brasil.

Formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), foi docente na Universidade Federal Fluminense (UFF), ex-presidente da Associação de Geógrafos Brasileiros (AGB) e recentemente professor convidado da Universidade Federal de Santa Catariana (UFSC). Enquanto intelectual orgânico da classe trabalhadora e dos oprimidos, articulava, de forma indissociável, a produção acadêmica e científica, alimentada pelas lutas socioambientais, em diálogo com os movimentos sociais das populações do campo, da floresta e das águas.

Carlos Walter, à luz da Ecologia Política, sempre se colocou contra a exploração humana, a mercantilização da vida e alertava para o colapso ecológico dos biomas. Seu amplo conhecimento geohistórico nos ensinou sobre a coevolução entre os indígenas e demais povos das florestas, constituindo os sistemas agroflorestais. Compreendia a Amazônia como patrimônio biocultural dos seus povos. Recentemente, a partir da abordagem das territorialidades em conflitos elaborou importantes contribuições na luta pela Campanha Nacional em Defesa do Cerrado. Evidenciava a necessidade estratégica da reforma agrária e da agroecologia no nosso país.     

Seu pensamento crítico em articulação, principalmente com intelectuais da América Latina, contribuiu profundamente para a compreensão da realidade do nosso país e para a leitura do mundo, em defesa das condições metabólicas de reprodução da vida dos povos e comunidades tradicionais.    

Carlos Walter Porto-Gonçalves, presente!

Associe-se à ABRASCO

Ser um associado (a) Abrasco, ou Abrasquiano(a), é apoiar a Saúde Coletiva como área de conhecimento, mas também compartilhar dos princípios da saúde como processo social, da participação como radicalização democrática e da ampliação dos direitos dos cidadãos. São esses princípios da Saúde Coletiva que também inspiram a Reforma Sanitária e o Sistema Único de Saúde, o SUS.

Skip to content